A tal greve dos professores

1 de maio de 2012

Faz dias que penso nesse assunto da greve, no que diz respeito a greve dos professores (aprendi com a Dilma).
Será mesmo lícito um professor fazer greve por melhores salários? Eu acho que não e pretendo defender aqui a minha opinião.
Vamos começar pelo fato do Brasil ter emergido feconomicamente nos últimos anos. Encabeçar a sigla BRIC já dá uma ideia da dimensão do que essa tal emergência significa.
Daí justificar esse turbilhão de categorias em greve, vá lá. O sujeito que vê todo mês no jornal a quebra de recordes de venda de carros, recorde de arrecadação de imposto, surgimento de centenas de milionários, etc. e fica puto. Daí para mobilizar meia dúzia e começar uma revolução é um pulo. Então policiais, funcionários públicos, metroviários, etc … declararam o óbvio. Tá todo mundo ganhando muito e eu também quero!
Será que o professor pode se igualar?
Antes de pensarem besteira a meu respeito, eu também sou professor e desde que comecei a lecionar, tenho muito gosto pela profissão. Fico feliz pela oportunidade de ensinar algo aos meus alunos que será usado por eles o resto da vida e também por poder passar parte da minha experiência profissional para quem pretende ganhar a vida construindo o mundo (leciono apenas para a engenharia).
Evidentemente, também tenho contas para pagar. O mundo acadêmico paga pouco mesmo, sempre foi assim. Quem enriqueceu, foram pesquisadores que saíram da docência para vender o que descobriram, mas esse é outro papo.
Voltando ao assunto da greve, alguém já ouviu falar de greve dos músicos ou dos esportistas? Ambas são profissões pagam mal seus profissionais, mas nem por isso eles fazem greve. A vontade de praticar o que gostam vai muito além do quanto ganham para isso. Conheço atletas de nível mundial que pagam para competir, mesmo sabendo que nunca serão ressarcidos integralmente pelo que fazem e nem por isso deixam de dar sua cara para bater (no caso dos praticantes de artes marciais, esse exemplo é literal).
O que seria do esporte se eles passassem a beber e engordar fazendo greve?
Os integrantes de orquestras pra mim são o melhor exemplo disso. O sujeito estuda anos para tocar bem e vai lá fazer isso de graça e com gosto. Pelo gosto de fazer parte de algo maior que ele, a música.
Acredito que o professor antes de tudo deve ser alguém culto ou pelo menos que tenha a  noção do que está fazendo numa sala de aula. Nosso papel diante dos alunos é muito mais do que ensinar para comer. Nós tiramos os sujeitos da ignorância, apresentamos a eles fundamentos seculares a respeito dos mais diversos assuntos. Uma missão dessa não pode ser interrompida por salário, benefícios ou um mísero aumento.
Agora, existe sim uma razão muito legítima para fazermos greve, revolução, etc. É a qualidade e as péssimas condições de trabalho. Tenho visto alunos chegarem ao terceiro ano da faculdade com dificuldades básicas de trigonometria, base de dez, etc. Isso sim é motivo de parar tudo e estudar o que está acontecendo, pois esse fato levanta sérios indícios que nossa educação não está servindo de nada!! Se não conseguimos estudar nem os problemas relacionados pela nossa própria profissão, que certeza temos do conceitos que temos a pretensão de ensinar?
Na última segunda encontrei com um colega na fila da farmácia e o perguntei se teria aula ontem (véspera de feriado) Ele me respondeu:
-Aula não, apenas atividade complementar. Pra constar no diário.
E falou isso bem tranquilo, como se fosse normal faltar ao trabalho e registrar o ponto. Porr@, será que ele não percebe que isso é imoral?!
Cansei de ouvir também que a primeira aula é apenas para dar as informações básicas. Uma vez um professor comentou que na primeira aula só falava o tal blá blá blá e liberava a turma (o detalhe é que ele é doutor!).
E também já ouvi perguntas do tipo: Professor, o senhor trabalha ou só dá aula? Diante disso tudo, essa pergunta faz muito sentido.
O pior é que esse quadro de greve se estabelece quando registramos o menor patamar de desemprego dos últimos anos. Quer melhor cenário para procurar uma outra atividade?
Eu acho que os professores devem ganhar melhor, mas não os professores que fazem greve. Professor que faz greve não tem noção do que faz na sala de aula.
————————————————————————————————

O Verdadeiro Retardado Mental

25 de setembro de 2011

Na minha infância eu muitas vezes chamei meus irmãos e colegas de retardados mentais. Sabe como é, na hora da raiva a gente chama qualquer nome que aparece na cabeça para tentar ofender nosso oponente, e muitas vezes tentei fazê-los sentir que suas mentes não estavam de acordo suas idades cronológicas.

O fato é que o verdadeiro retardado mental é muito mais comum do que imaginamos.
Existe alguns tipos de retardado mental gerados por problemas fisiológicos, um deles é a trissomia no cromossomo 21 (Síndrome de Down), portanto é uma doença congênita e nada pode ser feito para se impedir. Além dessa doença, existem muitas outras doenças cromossômicas que podem provocar o retardo mental.

Pessoalmente, já verifiquei que crianças podem desenvolver moderados ou até grave nível de retardo em função de condições precárias de vida. É fácil de perceber isso. No desenvolvimento infantil, o cérebro precisa de muita energia para se desenvolver corretamente, pois nessa etapa, a maioria das ligações cerebrais são estabelecidas. Uma severa diarréia nessa época pode deixar o corpo da criança severamente debilitado, de modo que suas consequências podem ser percebidas por toda a vida. Apenas cerca da metade da população das grandes cidades tem coleta de esgoto. Já viu onde essa irresponsabilidade pública pode parar, né? No retardo da população!
Além disso, os mais diversos tipos de abuso (moral, sexual, etc) podem igualmente gerar danos mentais. O que muitas vezes explica o baixo desempenho estudantil de crianças.

Mas não é bem isso que eu quero retratar. Eu gostaria de falar daquele tiozão que gosta de andar de baby look ou a tal cinquentona que insiste em andar de mini-saia. Não sei exatamente o porquê, mas esse tipo de retardado parece estar crescendo com o passar do tempo. As consequências desse comportamento me parece ir além do ridículo!

Pais que confundem seu papel com os próprios filhos podem servir de péssimo exemplo para as próximas gerações. Se o pai de 40 anos tem o comportamento de alguém de 20, significa que seu filho de 20 só pode voltar para a barriga da mãe!
Simplesmente eles não têm para onde ir.

Por outro lado, muitas mulheres apresentam comportamento análogo. É só ligar a tv e ver muitas mulheres exibindo o maravilhoso corpo, pago em várias prestações, em vestidos curtos ou coisa que valha. Evidentemente que isso tem uma íntima relação com a auto-estima da mulher. E mulher sem auto-estima é como um homem sem coragem, não tem brilho algum! Porém, o excesso de auto-estima é tão prejudicial quanto sua falta e focar a estima apenas na beleza externa é um erro que muitas pessoas parecem cometer.

Eu dei exemplos de culto ao corpo, mas o retardo mental não se restringe a esse tipo de exibição. É só olhar nas redes sociais para ver quarentões vibrando ao ouvir o Justin Biber.

Strip Tease

21 de agosto de 2011

Hoje resolvi esse abordar esse tema que já perambula a muitos anos pela minha cabeça.
Esse é um daqueles posts que vc nunca viu por aqui. Não precisa pensar, apenas usar a parte do cérebro abaixo da hipófise e se deixar levar.
Pra mim um bom strip tease é a sintonia perfeita entre a relação, a dança sensual e a música, além do ambiente.
Abaixo estão elencadas as 10 músicas por ordem de importância (sempre o melhor pro final) que eu imagino ser bem interessante para um strip maneiro.
Espero que gostem e se sintam entusiasmadas (os) para “viver”:

0) Um strip básico pra esquentar a fria noite de sábado a noite:

1) Danity Kane – Strip Tease
Se vc digitar Strip tease no youtube, a primeira que aparece é essa. A música é legal e cabe totalmente ao fim que se destina.


2) Culture Beat: Mr. Vain
Anos 90, deixou saudades. Call the Mr. Vain :D


3) Des’ree – You Gotta Be.
Essa é uma daquelas românticas que envolve. Não é a mais indicada para o ato do strip tease, mas pode ser também.


4) Jojo – The High Road
A Jojo tem várias músicas que podem ser pano de fundo para um strip. Todas elas têm uma cara bem feminina, no sentido que tem partes gritadas e outras quase choradas. Acho que a “The High Road” é uma das melhores , mas se vc procurar vai achar outras legais também.
The way you do me (vou botar no youtube, vou botar no youtube …) pode ser outra também.


5) Jenifer Lopez feat Pitbull – On the floor
Se é a relação está bem quente (no primeiro ano) e o casal tem fôlego, essa pode ser bem interessante.
Principalmente se ambos entenderem o que está sendo dito ;)

6) Pussycats dolls – Don’t Cha
Essa é um espetáculo! Não apenas pq a Nicole é a melhor representação da sensualidade feminina já vista no planeta, mas pq a música tem uma batida forte e lenta. O que pode alimentar muitas imaginações ;)

7) Excelentíssima Shakira – Hips don’t lie
É impossível lembrar de strip tease sem lembrar da Shakira dançando dança do ventre. É como ter fome e lembrar da lasanha da mamãe. Relação direta!
Detalhe: 66.142.909 exibições!

8′) Snap – Rhythm is a Dancer
Essa é muuuuuito louca também. Ficou famosa em uma novela da globo e nunca mais saiu da minha cabeça.
Detalhe: 11.873.928 exibições

9) Christina Aguileira – Infatuation
O nome do disco já dá a letra: STRIPPED! Bons sonhos!

10)E por último a melhor. Tom Jobim compôs garota de ipanema ao ver sua musa passando a caminho do mar. Agora, o John Cocker, pensou na musa bem louca tirando a roupa em cima de uma mesa de bar as 5:00h da manhã, com o pessoal já limpando o chão. Sem mais palavras para esse espetáculo da arte musical.

Joe Cocker – You Can Leave Your Hat On (9 1/2 Weeks Soundtrack)

Lembrando que o strip é uma interpretação sensual da música. A música é tão importante quanto a coreografia, o sentimento de prazer com a relação do casal e com o próprio corpo, a iluminação, a temperatura do ambiente e tals. Alguém que não vive bem com o corpo que tem não se vê fazendo algo desse tipo.
Acho importante também escolher uma música que tenha partes lentas e rápidas (movimentos). Ambos são importantes :), cada um no seu momento.
Have a nice strip tease!
Leia o resto deste post »

A tão falada humanidade

16 de agosto de 2011

É bem engraçado pensar no assunto da humanidade por uma série de motivos. Quem NÂO concorda comigo, que não faz sentido algum em falar em algo desumano que não venha de um humano. Em outras palavras, desumanidade é algo intrínseco a atividade humana, apenas porquê pode fazer algo desumano quem algum dia foi humano (e quem sabe voltará a ser).

Bom, o fato é que os atos desumanos me parecem mais humanos quanto os tipicamente chamados de humanos assim como o inverso. Haja vista o sexo, apenas para pegar um exemplo que todos mundo se identifica, sendo com  a amiga (o) ou com o amigo (a). Embora ainda seja praticado de forma essencialmente “violenta” (quem duvida, é só ver (lembrar) como usamos nossa força nessas horas. Inclusive, tem até escala para isso. Chama-se “pegada”. Se vc ouvir que fulana (o) tem mais pegada que a(o) ciclana(o), comece pela fulana(o). É claro.), o sexo é considerado como algo tipicamente humano. Ninguém fica abismado da “violência” necessária para chegarmos ao orgasmo (salvo em alguns pornôs terríveis!).

Agora experimente falar para sua namorada que vc está com medo. Experimente conhecer alguém na balada e falar que está desempregado. Não, gata. Não tô bebendo pq tô meio mal de grana. Não pega bem, né? Mas não há nada mais humano do que sentir medo ou ficar desempregado (sempre vejo os jacarés empregados). O ser humano é o próprio conflito e é isso que nos torna humanos. Desde a insegurança que sentimos ao sair da barriga da mãe ao medo da morte no derradeiro suspiro, milhões de dúvidas e agonias serão ou foram evitadas ou enfrentadas durante toda uma vida (seja ela o tempo que durar). Inclusive, é o erro, o medo, a possibilidade de falhar que nos faz digno de amor (sentimento tão desejado nos dias atuais). Procurar alguém perfeito para amar é como tomar banho de pedra ou areia. Não molha! A sensação de segurança que nos faz sentir A tal pessoa só acontece porque em MUITAS situações somos inseguros. Portanto, não há nada mais idiota do que procurar a mais gata da festa ou o mais forte da escola, já que, se ela (e) se basta (ou pelo menos parece se bastar), não deve precisar da minha companhia, do meu amor.
{[(Pelamordedeus, não use isso de desculpa para chorar no ombro do colega que lhe perguntou se tudo estava bem. Lembre se que a hipocrisia é o cerne da vida pública)]}.

Alguns do que me leem já devem ter passado pela triste experiência de conseguir a atenção DAQUELA pessoa e se decepcionar meia ou duas horas depois. Principalmente, porque a expectativa não foi suprida. Houve uma frustração!
Também ocorre a experiência contrária, essa reciprocamente mais feliz.

O fato é que o ser humano é um antes de tudo um animal, só que pensante. O que necessariamente não é algo bom, pois além da racionalidade, trás também a dúvida, a insegurança, o medo e o caraio a 4. O instinto de matar, se dar bem frente ao mal alheio, levar vantagem, etc. é fruto de requícios de uma origem tipicamente selvagem, onde lutar pelo raro alimento, fugir dos inimigos e armazenar energia era tarefa diária. Não é a toa que muitos de nós ainda não se ligou que 100 mil anos se passaram e continuamos armazenando gordura na região bélica (A principal causa de morte atualmente. Que vergonha!).

Leia o resto deste post »

A íntima relação entre minha casa, minha mente e minha vida.

18 de junho de 2011

Parece até mentira falar isso, mas eu sempre tive prazer em limpar a minha casa. Evidentemente, teve/tem muitos e muitos dias onde fiz/faço apenas o extremamente necessário para que a casa ficasse habitável.
Bom, o fato é que limpar minha casa me dá prazer. Sinto me bem sabendo que estou cuidando (com as próprias mãos) das minhas coisas, proporcionando mais saúde e prazer em habitar minha casa.
Não é necessário dizer o trabalho que dá tirar o pó, varrer, passar pano, etc, mesmo colocando uma música alto astral. Salvo algumas pessoas que parecem se divertir com uma vassoura na mão. :)

Por isso eu sempre pensei/penso na forma mais eficiente de fazer isso.
Uma das primeiras conclusões que cheguei foi que a casa mais limpa é a que menos se suja e não a que mais se limpa. Criar hábitos como limpar bem a sola do sapato ao entrar em casa ou limpar o calçado antes de colocá-lo na sapateira são iniciativas que ajudam a manter a casa limpa.
Algo que eu quase sempre costumava fazer é limpar apenas uma parte, como por exemplo a cozinha ou a sala. Geralmente a parte mais suja, pois é o que mais me incomodava no momento.
Eis que o fenômeno acontece!
Após pisar no lugar sujo ou não limpo e voltar a transitar pelo lugar limpo, em questão de horas o trabalho de meia hora estava na lata do lixo e toda a casa volta a estar suja.
Cansei de fazer isso e constatar estatelado no sofá esse fato. O negócio é que muitas vezes a energia está tão baixa que acabo não pensando naquilo e indo fazer outra coisa mais fácil.
Resumo da ópera:
Quer limpar sua casa? Limpe toda! Sem deixar cantinhos sujos ou cômodos com as portas fechadas para fingir que eles não existem. Essa é a única maneira SUSTENTÁVEL de fazer isso.
Se não for dessa forma, a sujeira virá do lugar mais sujo em questão de minutos, como por osmose.
Após essa constatação fiquei a pensar na vida como um todo.
Quantas vezes pensamos em limpar um cômodo e deixamos outro tão sujo a ponto de “sujar” tudo?
Fiquei a pensar o que aconteceu na minha vida amorosa quando a financeira ou profissional não estava bem e vice-versa.
Quantas vezes fiquei doente por estar passando por um mal momento emocional, profissional ou financeiro.
Evidentemente, tirei minhas conclusões e algumas correlações em relação aos “cômodos”.
Penso que não existe alguém capaz de ser bom em algum aspecto e ruim em outros.
Vence no trabalho quem vence em casa, quem tem uma vida saudável em todos os sentidos. Já que, invariavelmente, antes de ter um quarto limpo, ele continuará sujando a sala, a cozinha, etc.
Por isso, quando um cômodo for identificado como sujo, é interessante chamar ajuda, por mais forte que alguém seja.
Haverá um momento de análise e energia gasto para restabelecer a saúde financeira, mental, corporal, etc. Por isso as pessoas mais próximas precisam saber desse momento e ajudar, mesmo que seja não cobrando atenção (o mínimo que se pode esperar de quem está por perto).
Os problemas costumam ser pequenos quando temos uma boa estrutura (mental, emocional (amigos, parentes), financeira, etc).

“Isso é coisa sua, não é problema meu!”

16 de abril de 2011

Depois de passado uma semana da tragédia de Realengo, a sociedade ainda se pergunta o que pode ter motivado Welington Oliveira a matar as onze crianças e ferir mais dez.
A notícia foi passada e repassada por emissoras de TV nos moldes do programa Aqui Agora, fazendo questão de reprisar várias vezes o que todos já estavam chocados em ver (garantindo seus pontos no IBOPE e muita $$). Especialista das mais variadas áreas da saúde foram entrevistados e perguntados pelo motivo que teria levado welington Oliveira a cometer tal tragédia (talvez o Walter Mercado seria o mais indicado para falar a esse respeito).
Evidentemente, um estudioso ou especialista não sabe explicar o porquê de alguém que nunca viram antes entrar numa escola e assassinar tantas crianças sem motivo aparente.
A aparente falta de explicação vem de uma simples premissa: Cada um com seus problemas!
Welington era um cara como muitos, deprimido, doente, fudido. Welingtons em potencial tem as centenas por aí. Pessoas que perderam tudo em suas vidas e não possuem a menor perspectiva de melhorar em nenhum aspecto.
Bom, qual seria então a relação das crianças com a vida desse rapaz? Elas estudavam na escola que ele estudou quando criança, onde supostamente sofreu bullying (parece que casou direitinho com a estória do menino Zangief).
Se não fosse esse, haveriam muitos outros motivos. Apenas pelo fato de viverem na mesma cidade, estado ou país, já seria um “motivo” para ocorrer uma tragédia.
O ser humano é uma máquina altamente capaz de fazer qualquer coisa, inclusive destruir. Seja devagar andando de carro e destruindo florestas ou rapidamente, acabando com a vida de outras pessoas, como o caso citado.
Evidentemente, não estou a defesa de casos como de Welington, que inclusive está até hoje para ser reconhecido no IML e provavelmente será enterrado como indigente. O problema é que o caos evolui sorrateiramente e é impossível de prever o comportamento de qualquer pessoa, imagine alguém com esse nível de doença.
Agora quantos dos nossos colegas e amigos podem estar atravessando uma fase complicada, sem perspectivas de vida?
O fim do casamento do funcionário da padaria pode ser seu problema também, por isso uma postura pró-ativa com relação as pessoas que nos circundam se faz necessária. Motivar a saúde psíquica deveria entrar em moda, com postura simples de dar bom dia nos ônibus e ter um bom astral. Enfim, se importar com as pessoas.
O lance aqui não é resolver o problema, até porque acredito não haver solução, mas ter consciência que nossas vidas dependem de pessoas que não conhecemos e por isso, a vida delas também nos diz respeito. Acredito que apenas pensar nessa linha já refletiria mudanças no comportamento das pessoas de modo geral e menos FODA-SE da nossa parte quando passar por alguém fudido na rua.

27 de março de 2011

Faz um tempão que eu quero escrever a respeito das relações entre homem e mulher, mas agora no âmbito sexual. Isso mesmo, SEXO.

É fato que nós homens somos lerdos nesse assunto em relação as mulheres. O lance começa ainda no ensino fundamental, enquanto a gente acha o máximo em ver uma das meninas de calcinha, elas já perguntam quanto calçamos. Sentiu a maldade? Lembro que demorei até descobrir a possível relação entre o tamanho do meu pé e o meu pênis. Pois é, elas já estavam interessadas nisso, apesar de eu nem imaginar o que seria um clitóris. Engraçado e trágico!

E a parada não fica por aí, haja vista que a maioria das relações começa pelo fato da menina se interessar pelo cara e trabalhar nesse sentido, embora nem sempre vejamos dessa forma.

Na vida adulta, as reclamações vão além da falta do dito telefonema depois do ato consumado, já que muitas vezes o ato também deixa a desejar.

Um comentarista da revista época comenta que gostaria de ver um manual de etiqueta sexual. Um manual onde mulheres e homens pudessem ler nas entrelinhas o que está rolando entre os pretendentes, além de orientar de como se comportar no primeiro encontro e tals. Eu não concordo, acho que isso deveria ser assunto de escola e ensinado no ensino médio.

É. Explicar os tipos de sexo possíveis e variações. Penso isso por um motivo muito simples, quem sabe que não sabe , vai atrás. Procura, lê, conversa a respeito. Agora quem acha que sabe nunca vai ler esse tal manual, portanto tem que ensinar na escolinha mesmo, já que a grande maioria de nós acha que sabe tudo da arte do amor …

Depois da aula de português, entraria a professora de educação sexual ou coisa que valha. Daí, ela mostra a foto de uma vagina, com todos os detalhes de pequenos e grandes lábios e tudo mais. O moleque tem que saber dessas coisas! O mesmo com as meninas (foto do pênis e tals), embora elas se alertem mais rápido para essa realidade.

Além disso, tem o papo da postura. O cara que transa e dá as costas ou a menina que não quer dar no primeiro encontro existiriam em quantidades bem menores do que de costume. Acho que vale de tudo, sabe? A “trepada” sem compromisso ou o “amorzinho” de uma longa relação, ambos podem ser excelentes ou não, mas as cartas precisam estar dadas, na minha opinião. Tem mulheres e homens que querem o sexo rápido ou o amor eterno, independente da idade, é só procurar. Além disso, pode se mudar de opinião se o material vale a pena. Portanto, use de todo seu poder de sedução e seja feliz, mas não é uma boa bancar o namoradinho apaixonado e dar uma de canalha. Até porque, mulher que é mulher conta suas experiências para as amigas. Elas não se aguentam até dividir a estória (ás vezes história) com alguma amiga, daí as consequências podem ser ótimas, mas do outro lado da estória deve haver uma personalidade, não um personagem.

Eu não poderia deixar de comentar uma das principais reclamações femininas. O sexo oral.

Além de alguns links que podem esclarecer com muito mais detalhes do que eu poderia fornecer, gostaria de salientar que o cara que sabe onde “pisa” ganha muitos pontos com a mulherada ;)

Importantíssimo lembrar que não há nenhuma pesquisa científica que prove a transmissão de AIDS no sexo oral, embora possa transmitir HPV, herpes, gonorréia, sapinho, etc ….

Pra finalizar, o grande lance é saber ler o eco de seus atos, seja na paquera, no sexo (seja qual for a forma) ou até mesmo na briga (sim, elas acontecem!). Esse é o guia da parada toda. Não espere um coice para saber que está fazendo merda, se a resposta não foi o que esperava é porque não está estimulando como deveria.

A importância de andar com boa pessoas

25 de dezembro de 2010

Dinheiro compra felicidadeHá muito tempo atrás eu fui almoçar com um amigo em Erechim. Já fazia uns anos que não o via. Após conversarmos sobre muitas coisas ele me comentou:
-Nossa, como vc mudou!
Eu logo achei que ele estava falando da minha postura ou coisa do tipo. Já que tinha trocado de área ou devido a qualquer outro bom motivo que meu egocentrismo pudesse elaborar numa hora dessas.
Então, depois do costumeiro silêncio pronunciado depois de uma frase como essa, ele continuou:
-Sua barriga cresceu e seus braços e peito mucharam!
-O que houve?
Bom, eu o agadeço até hj por aquelas frases. A partir dali comecei a correr e me exercitar e embora talvez não esteja muito diferente, posso correr 10 km na boa.
Com esse relato, fica claro que pessoas realmente interessadas em nós são sempre necessárias por perto. O que parece ser tão óbvio passa batido aos olhos que não é desatento, mas apenas não oha para si.
Nesse último final de semana almocei com uma amiga em Porto Alegre. Aos conversarmos sobre muitos assuntos e sentimentos, ela me comentou:

-Nós procuramos a profissão daquilo que mais precisamos. Veja eu. Quer saber de alguém que precisa de mais educação que eu? (Ela é pedagoga).

A partir desse momento, fui arremetido para o quê me fez escolher ser engenheiro mecânico, de modo a verificar a veracidade daquela frase, que tanto me entrigava.
Bom, os resultados dessa reflexão é papo de outro post, mas o fato é que essa simples frase me fez pensar em muitas e muitas pessoas que conheço e pensar no porquê delas escolherem a profissão de escolheram.
Na minha mente, a expressão: “Em casa de ferreiro o espeto é de pau” nunca foi tão clara.

O fato é estarmos sempre acompanhado dessas pessoas. Essas que gostam da gente e não ganham nada por falarem o que realmente veem.
Fico muito feliz por estar cercados dessas pessoas. Acho que essa é a verdadeira riqueza da minha vida. ;)

Leia o resto deste post »

Crescer como pessoa – Miguel Angel Conesa Ferrer

25 de dezembro de 2010

Crescer como pessoa - Miguel Ferrer

“Existem apenas duas ou três histórias humanas, que se repetem ferozmente como se nunca tivessem acontecido antes”.

Com essa brilhante frase de Willa Cather, começo essa crônica a respeito do livro Crescer como Pessoa.

É incrível como, a dádiva que é estarmos vivos, pode se tornar uma desgraça na vida de algumas pessoas. O sofrimento, definitivamente, tira o brilho do que temos de mais especial, nossa vida.

Embora sejamos únicos, quem trata de saúde mental de alguma forma, sabe que existem histórias extremamente parecidas que são contadas por diferentes pessoas. É nessa temática que Miguel Ferrer, através de contos infantis de Andersen, tenta nos abrir os olhos para o que as vezes pode ser tão óbvio.

Contos como o patinho feio, O boneco de neve, e outros são “contados” na íntegra. Após cada conto, uma extensa reflexão sobre o comportamento dos personagens é feita, com a proposta de ligar ao conto alguma possível característica pessoal do leitor. Uma série de exercícios também é proposta no final de cada conto, como um certo “corrimão” para os pensamentos e lembranças, de modo a se verificar como certas características como inveja, ciúmes, medo, etc, tem afetado sua vida.

Crescer como pessoa, trás uma proposta para que possamos pensar alguns aspectos de nossa vida por nós mesmo, na intimidade de nosso ser. É uma excelente oportunidade de nascermos para algo novo, criando uma realidade nova a partir de nós mesmo. Sem a necessidade de procurar ajuda pessoal ou profissional.

Seja quem ou como sejamos, nossa vida pode ser muito próspera ou extremamente pesada, depende apenas do que cultivamos em nosso pensamento.

Boa leitura!

10 motivos para viver bem

25 de dezembro de 2010

Já vi em inúmeros lugares muitas e muitas “lições” para viver melhor. Todo mundo tem uma receita.
Embora eu não acredite em ideias/comportamentos prontos, tipo faça e pronto! Eu elenquei
10 “regras” que tem feito sentido na minha vida. Evidentemente, não pretendo que ninguém siga, nem tome como conselho. Relato o que faz sentido para mim e espero que possam ler e acrescentar detalhes ou apontar contrapontos. Seguem por escala de importância:

1) Quanto mais miséria tem, mais urubu ameaça.
Desgraça pouca é bobagem. Um boa desgraça nunca vem desacompanhada.
São todos indícios que tudo que está ruim pode piorar. Portanto a saída é não desanimar.
Lembre-se de quem está na direção e não deixe o barco desandar. O lance é segurar as rédeas da situação
e trabalhar duro para que tudo melhore e quando melhorar, surfar bem a onda.

2) Sustentabilidade.
Parece ser a palavra do nosso século mesmo. Conforme foi comentado no item anterior, quando
a desgraça vem, o lance é pesado. Uma forma de amenizar esse efeito parece ser “investir” enquanto as coisa vão bem. Por exemplo, se está ganhando uma grana legal, guardar uma parte da grana para quando essa maré baixar. Se as coisas estão indo bem com a gatinha, tentar “gravar” essa etapa com algo que supreenda.
Pode ser um ramalhete de flores, uma viagem, etc. Algo que marque essa etapa e vcs possam lembrar com carinho dessa fase quando algo de ruim acontecer na relação.
Enfim, o lance desse item é: “o valor do amanhã”. Deixar, muitas vezes, de curtir o bom agora para investir no futuro.

3) Tudo que custa dinheiro é barato.
Tem gente que vai me matar com essa, rs. É verdade. Por mais que pensemos que o que vale é ganhar uma baita grana e ser feliz, o que buscamos está longe de uma gorda conta bancária. Isso inclui aquele seu amigo “workaholic”. Por mais que trabalhemos, roubemos, assaltemos, etc. O que buscamos no fundo é afeto, valorização pessoal, profissional, etc. Por isso, para não ficar insatisfeito quando atingir seu salário de 5 dígitos, é uma boa pensar nas relações com as pessoas com quem trabalha ou de alguma forma convive.

4) Quem tem vida interior nunca padecerá na solidão.
Sabe aquele show da sua banda preferida que custa 20% do seu salário? Então, é barato! E seria barato se custasse 50%.(Ver item 3). Investir em cultura nunca é desperdício, pois é através disso que mudamos, vemos a vida por outro ângulo. Enfim, crescemos.
Confesso ter ficado momentaneamente decepcionado com o show  do Linkin Park, mas por não entender algumas coisas do show fui pesquisar e descobri uma série de manifestos da banda com relação a bomba atômica, por exemplo. Enfim, embora eu tenha  ido lá para ouvir gritos estéricos e riffs pesados em meios a scratches, ganhei quase um mês de reflexão, pesquisas no youtube, etc.

5) O que dará errado é aquilo que imaginei que poderia dar, mas nada fiz contra isso.
Geralmente, o que vai falhar é aquilo que passou pela sua cabeça, mas vc não demos importância.
Portanto, tento sempre ouvir a intuição. Parecemos saber bem mais do que efetivamente sabemos.

6) Tratar com seriedade o sentimento alheio.
A melhor trepada da sua vida não foi um mero acaso (muito provavelmente). Assim como a pior pessoa que passou na sua vida não meditava todos os dias. Penso que agimos, na maioria das vezes, por estarmos envolvidos em sentimentos. Por isso, sentimentos bons tendem a nos trazer coisas boas, assim como sentimentos ruins tendem a nos trazer consequências ruins. Por sentimento se mata ou se casa! (O segundo deve ser melhor, rs).

7) O medo é inimigo da mente.
Já fomos a lua, fomos/somos amados e amamos pessoas maravilhosas (fala a verdade, não há nada mais dífícil do que viver um verdadeiro amor), etc. Enfim, nós podemos fazer o que quisermos, desde que consigamos condições. E a condição básica para o bem agir é não ter medo.
“O medo dá origem ao mal”, como bem dizia Chico Science na voz da Nação Zumbi. Nosso medo de solidão, de perder, de ficar sem proventos e coisa que valha pode causar inúmeras tragédias. Por isso, penso que o medo é um sentimento “ruim”. Tá. Eu concordo que ele nos protege do perigo, mas uma mente com medo é patética.
Acho que nem preciso citar exemplos, é só a gente lembrar das besteiras que fizemos quando nos sentimos amedrontados. Inclusive, é assim que muitas pessoas tentam intimidar as outras, provocam o medo. Assim a vítima erra, não pela intimidação (muitas vezes), mas porque está abalada pelo medo.
Pessoalmente, tento não sentir medo. Quando isso acontece, tento parar e analisar o mais friamente possível o que está acontecendo e tomar a decisão. Depois  disso, é só executar a decisão tomada, sem “mas”. Missão dada é missão cumprida! (É claro que nem sempre dá certo).

8 ) Cuide do que é seu!
A começar pelo seu corpo, que é a morada do seu espírito. Parece mentira, mas uma casa suja trás doenças, assim como um corpo debilitado deixa uma mente doente também. No caos ninguém é cidadão. Existem alguns cuidados básicos que se não tomados as coisas começam a cair.
Outro aspecto desse item são as coisas materiais. Cuide com carinho das suas coisas, elas de alguma forma demonstram algumas de suas conquistas.
Por isso, é bom fazer seguro do seu carro, usar o tempo livre para cuidar das roupas, etc.

9) Acredite em você!
Só existe apenas uma pessoa na face da terra que nunca deve duvidar da sua capacidade. Essa pessoa é vc mesmo. Por mais que seja colocado a prova, essas devem apenas servir para que se confirme a pessoa que vc é. Fazer isso é foda mesmo, mas não impossível. Se for preciso, proteja-se! Não é preciso se expor para provar nada a ninguém. O que é teu, ninguém tira e com isso tu conquista o resto. ;)

*Se leu até aqui, vc merece mais um motivo para continuar lendo.

11) NUNCA reclame!
Por mais FDP que o cara foi. Por mais caro que seja, etc. Não reclame! Se quiser tratar o assunto cara a cara com a pessoa relacionada ao problema, beleza. Siga em frente! O que não pode é ficar reclamando pelos cantos, falando mal pelas costas. Sabe porquê? Porque enquanto vc reclama a vida passa e outras oportunidades são perdidas. Portanto, fique atento. Se deu errado, se liga para não errar mais e bola pra frente. Não deixe um erro causar outro.

Leia o resto deste post »


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.